Ronaldinho Gaúcho: procura-se vivo ou morto!

Foto: O Globo

Depois de Mizael Bispo, acusado de matar a ex-namorada Mércia Nakashima, e do ex-médico e fecundador Roger Abdelmassih, Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis também entram pra lista de foragidos de São Paulo e Porto Alegre. E com razão!

Depois da novela dirigida por Assis para repatriar o jogador, que, dizem, vai mesmo fechar com o Flamengo, é bom os dois não pisarem tão cedo fora do Rio de Janeiro, né não?

Mãe quer que Adriano volte ao Brasil, já a torcida…

Mãe de Adriano diz em jornal italiano que quer o filho fora do Roma e de volta ao Brasil.

A imprensa ainda especula sobre a ida do imperador em ritmo de aposentadoria para um clube paulista, mas nada é certo ainda.

Por hora, a mãe dele quer o jogador no Brasil. A torcida do Palmeiras, não! E a do Corinthians, como sempre, não sabe o que quer. Só sabe que começou o ano do centenário querendo tudo e acabou sem ter nada.

Camisa de peso

Depois do contratar técnicos e jogadores brasileiros a peso de ouro, o Qatar tenta agora uma nova investida pra aparecer bem no cenário do futebol mundial. O país acaba de lançar sua candidatura para sediar a Copa do Mundo de 2022 – se houver 2022.

Pra isso, o país apresentou a maior camisa de futebol do mundo, que mede 72,2m por 48,7m. Uma camisa bem grande. Principalmente para o futebol deles, né não?

Mudando de lado (de novo)?

Não é de hoje que o atacante Richarlysson, do São Paulo – claro! – faz a sobrancelha e muita marra durante os jogos. O que acaba quase sempre deixando o time na mão. Como no clássico contra o Santos que, por pouco, o São Paulo não leva.

Mas o que vem preocupando torcedores do tricolor e amigos mais chegados do jogador não é a marra dele ou a sobrancelha bem pinçada. Até porque, isso todo são paulino entende.

O problema é a violência que o futuro ex-craque vem apresentando, como no carrinho criminoso dado no lateral Zé Eduardo.

Aí tem! Afinal, como se sabe, entrar duro por trás, francamente, não é a dele.

Reforço de peso ou da pesada?

E finalmente Robinho foi apresentado aos torcedores pelo seu novo clube, o Milan. Ao lado de Ibrahimovic, também recém contratado, o jogador comentou que “foi fácil” escolher o Milan, o que dá pra entender. Não é de hoje que o atacante tem essa “facilidade” de pular fora do Santos, seu time escada, e voar pra bem longe.

Resta saber se dessa vez o jogador fará jus ao barulho. Afinal, na sua primeira tentativa, depois de fazer marra pra se juntar aos “Galáticos” de Ronaldo, Roberto Carlos e Cia, o máximo que o atacante conseguiu foi esquentar o banco e uma jovem de 18 anos, que o acusou de estupro.

De qualquer modo, o Milan aposta estar investindo em grande reforço. Mas até que prove a que veio, Robinho reforça, no máximo, o time das baladas do primeiro-ministro italiano e dono do time, Sílvio Berlusconi.

Cem anos de sofrimento

Há 100 anos, em um primeiro de setembro distante, um grupo de operários do bairro do Bom Retiro fundava o time da marginal sem número. Nascia então o Esporte Clube Corinthians Paulista, como está no estatuto do time. E Timão, como aparece no Boletim de Ocorrência.

Cem anos de história. Um bom motivo pra comemorar, não fosse fraco ano do time, que começou 2010 pretensioso, querendo ganhar tudo, mas que segue seco sem ganhar nada. Trouxe até Ronaldo e Roberto Carlos pra engrossar o caldo. Mas não deu samba.

Só pra relembrar, o time começou o ano sem estádio, não ganhou carnaval, copa paulistinha, paulistão e como sempre, não levou a Libertadores. É, como sempre, oras! Nem no ano dos cem anos o Corinthians conseguiu carimbar o passaporte pra sair do país. E o mais longe que o time conseguiu ir até hoje na busca pela internacionalidade, foi com aquele mundial que só o corintiano típico acredita que vale. Mais ninguém.

Pra piorar, recentemente o time quase perdeu sua maior conquista, Ronaldo. Um jogador que ao contrario do time, está sempre ganhando. Peso, no caso. Mas ultimamente ele até que vem tentando, a muito custo, colocar o Corinthians na disputa do Brasileirão. Se consegue, só Deus e Kaká acreditam.

Mas apesar de tudo, o Corinthians deve festejar. É o time com a segunda maior torcida do país, fora dos presídios. Dentro das quatro muralhas, é primeiro absoluto! Tem um elenco da pesada, capitaneado por Ronaldo. E é quase sede da Copa do Mundo de 2014. Coisa de louco mesmo…

Por isso, amigo corintiano alfabetizado que lê esse post, pare o delito que está cometendo e comemore! Afinal, mesmo que não traga tantas alegrias pra sua fiel torcida, o Timão continua dando alegria e fazendo rir todas as outras. Pois só tem uma coisa melhor que torcer pelo Corinthians: torcer contra!

E a gente segue torcendo. Todos nós! Só pra não perder o costume. Vai Curíntia! Pra bem longe!

Comemorando feito gambá

Depois do baile de despedida em pleno Palestra Itália, onde quem escolheu o ritmo foram os argentinos do Boca e quem dançou tango foi o Palmeiras, que perdeu por 2 a 0, o aniversário de 96 anos do Palestra não teve bolo. Só chocolate.

A noite que seria de festa com jogo em casa, acabou em 3 a 0 pro Atlético-GO, o lanterna do Brasileirão. Uma vergonha!, segundo Felipão. Uma puta vergonha!!!, segundo a torcida. E foi mesmo. Onde é que vamos parar? Baile da despedida, chocolate no aniversário, se continuar assim o Palmeiras vai acabar superando o Corinthians até nas comemorações de aniversário…

Refazendo as contas

Em entrevista para a TV Globo, Ronaldo admitiu que pode parar de jogar futebol a qualquer momento. Mas já não parou? Pelo menos é o que o torcedor corintiano, maloqueiro e que sofre cada vez mais por continuar sem ter o que comemorar no ano do centenário do clube acha. E com toda razão!

Afinal, como se sabe, já faz mais de 100 dias que a única bola que ele toca é a própria barriga.

Ou vai ou racha

Em conversa descontraída no Twitter, Ronaldo prometeu que vai dar a volta por cima. E não é da pança… Kaka aceitou o desafio e disse que ta nessa com o irmão gordinho.

Agora é ver pra crer. Ou ele fecha a boca pra pagar a promessa pra torcida do time da marginal sem número. Ou se aposenta longo, enquanto ainda pode sair de cena sem ser carregado.