Previsão pra hoje: sem previsões

Tem dono de instituto de pesquisa com “aquilo” na mão desde que soube da morte do Polvo Paul. E com razão! Não é de hoje que a credibilidade dos institutos vai de mal a pior. Mas desde os resultados do primeiro turno das eleições, quando erraram feio previsões importantes, os grandes institutos tinham na contratação do animal a sua grande esperança de chegar ao menos perto de uma previsão confiável nessa reta final.

Mas não deu. Ao ser perguntado se o Corinthians um dia vai vencer uma Libertadores o polvo que fez fama e dinheiro durante a Copa pediu pra sair. O que é, certamente, mais um duro golpe na quase inexistente credibilidade dos institutos de pesquisa.

O buraco não é mais embaixo

O Brasil está prestes a eleger para o seu comando uma mulher que bate na mesa, fala grosso, é mais macho que muito homem e não é a Rita Lee. É uma evolução? Depende.

O concorrente mais à altura desse verdadeito tanque de guerra não tem peso pra enfrentá-la, quanto mais força. E o síndico atual, um baixinho, corintiano, de fala fácil mesmo com língua plesa, tem certeza absoluta – assim como seus assessores – que é mais famoso que os Beatles. Consequentemente, que Jesus Cristo também.

Mas se na política estamos condenados a uma única direção, já que as duas frentes que disputam o comando do país só concorrem no discurso e na prática vão para o mesmo lado, olhe pra cima e agradeça. Pelo menos lá, onde não há políticos, nem padres comedores de criancinha ou lobby pra chegar mais alto, as coisas andam estabilizadas.

É que a Organização Mundial da Meteorologia (OMM) acaba de anunciar que a camada de ozônio que protege a Terra dos níveis nocivos de radiação ultravioleta, estabilizou nos últimos 10 anos. Não é nada, pelo menos nesse caso, o buraco não é mais embaixo. Continua lá em cima mesmo.

A guerra continua!

Pesquisa divulgada pelo IBGE revela que ao contrário do que muita gente pensava, o número de homens solteiros é maior que o de mulheres em vários estados, como Tocantins, Mato Grosso e Espírito Santo. Mas a novidade acaba por aí e nem requer tanta preocupação.

Como se sabe, não é que tem homem sobrando. O que aumenta a cada dia é o número de homens não praticantes, ou que usam calça colorida. Assim como o de mulheres que disputam com o homem ativo o direito de coçar o saco e ter uma cocota pra chamar de sua.

Sendo assim, ninguém está na vantagem. Pelo contrário! A disputa continua e está cada vez mais acirrada pra um lado, para o outro, e claro, pra quem já mudou de lado ou pratica os dois.

Trânsito da China!

Ao saber que o chinês está há dez dias preso em um congestionamento na estrada que liga Pequim à região do Tibete, o paulistano típico, que saiu de casa esta manhã pronto pra ficar mal humorado com o trânsito de véspera de feriadão, respirou fundo, aumentou o som e agradeceu a Deus pelo o trânsito infernal conquistado.

E com razão. Perto do que enfrentam os chineses, com mais de 120km de congestionamento e andando a uma velocidade de 1km POR DIA, o trânsito de São Paulo, seja pra onde for, é mato!

Materialização à cubana

Pra quem achava que nunca mais ia ver Fidel Castro em público e de farda, uma surpresa. Quatro anos depois da sua última aparição pública oficial, o fantasma do ex-líder cubano se materializou disfarçado de azeitona para dar uma aula na Universidade de Havana. Prova de que se quem é vivo sempre aparece, quem não é também dá as caras.

Sobrevivendo à secura

Não é a primeira vez neste ano que o paulistano apressado, cheio de doenças respiratórias e tosse seca se vê na secura total.

E cá entre nós, o mês de agosto não tá ajudando. A poluição e o tempo também não: a umidade relativa do ar chegou a bater desesperadores 17% na região de Santana.

É muita secura. O que obriga o paulistano a duas coisas: tomar muita água e não abrir mão das preliminares.