Serra que se cuide!

Desde que soube do estudo publicado pela Escola de Administração da Universidade do Colorado aqui, José Serra anda meio cabreiro.

Segundo os pesquisadores, mulheres atraentes e de beleza acima da média são rejeitadas ou discriminadas quando se candidatam a cargos masculinos importantes, como gerentes, supervisores, diretores e presidentes… O que aumenta, substancialmente as chances de Marina Silva e Dilma Rousseff, né não? Ele que se cuide…

De olho na ressaca

Pra quem duvida que anjo da guarda de bêbado não existe, uma certeza: eles existem e trabalham no Senado. É que a Comissão de Assuntos Sociais aprovou o projeto de lei que proíbe a demissão por justa causa por alcoolismo aqui. Ou seja, se virar lei, todo “pé inchado” agora também tem direito assegurado em CLT.

A notícia é boa, os bares vão lotar, as esposas vão apanhar em casa e até o Zeca Pagodinho, que nunca trabalhou, se sentiu mais amparado pela lei que prestigia “a classe”.

Mas o projeto ainda depende da aprovação dos deputados da Câmara,  o que é quase certo, e do presidente Lula, que anda meio em dúvida se assina ou deixa no gelo. Afinal, sancionar em causa própria e em ano eleitoral pode ser pior que porre de pinga ruim.

Pausa pro cafezinho

Enquanto o país retoma sua rotina de caos com o fim das férias escolares, o Congresso Nacional aproveita o começo de agosto pra fazer uma pausa no recesso e dar uma olhada nos trabalhos.

Mas é só uma olhadinha de leve, jogo rápido mesmo. Afinal, como se sabe, é ano de eleição e os parlamentares não querem se cansar com amenidades como, por exemplo, o trabalho.

Que tal uma molhadinha?

O paulistano anda na secura por causa da baixa umidade do ar na capital. E não é pra menos. Com índice de apenas 30% de umidade, e caindo, a Defesa Civil já recomendou que se evitem atividades físicas ao ar livre entre 11h e 17h e que todos bebam muita água.

Ou seja, dar uma molhadinha em ambientes fechados pra amenizar a secura pode!

Um tapinha não dói!

Parece que o Congresso Nacional vai mesmo proibir os pais de punir seus filhos com castigos físicos de qualquer espécie, mesmo que sejam apenas pra “colocar ordem na casa”.

Se acontecer, cai por terra a velha máxima que diz que “um tapinha não dói”. Pelo menos em crianças. Mas em adultos continua valendo. Não como o goleiro Bruno pratica, ou o Mel Gibson. Mas se for com jeitinho, na hora e na posição certa, aí não dói mesmo. Dizem, é até melhor…