Morro do Turano: agora pode subir

E o Rio de Janeiro inaugurou nesta quinta, mais uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no morro do Turano, o preferido do Capitão Nascimento. Essa é a 12ª UPP do estado, onde poderão ser encontrados pelo menos 185 policiais militares dando plantão e tiro sempre que possível, porque “aqui é os tira, parcero!”

Nenhum traficante sem disfarce foi visto na inauguração. Somente o povo coagido da comunidade e autoridades militares subiram o morro para ver evento. Ao contrário do Capitão Nascimento, que não foi porque, como se sabe, por ele “não subia ninguém!”

Dia Mundial a pé!

E o paulistano é mesmo um cidadão consciente. Às vésperas do Dia Mundial sem Carro, ele não só largou o possante em casa, como apertou o botão do “Foda-se”, localizado dentro dos vagões dos trêns do Metrô, e abandonou literalmente o trem nas estações da Linha Vermelha (leste-oeste) indo a pé para o trabalho. Um verdadeiro exemplo a ser seguido, provando que o paulistano é gente que faz.

Quem não faz é o governo e o Metrô, que até agora tentam por a culpa no usuário pelo problema que parou as linhas e gerou o caos urbano.

De volta ao trabalho sujo

E depois de nove dias preso pela Polícia Federal o governador do Amapá, Pedro Paulo Dias (PP), voltou ao poder. E ao contrário do que o bom senso ditaria em qualquer democracia um pouco melhor informada, muita gente foi receber o político e sua quadrilha no aeroporto de braços abertos, como verdadeiros heróis.

Coisas do povo, este marido traído e conformado que perdoa, mesmo sabendo que é sempre enganado.

Mas enfim, a volta de Pedro Paulo Dias ao poder deixa pelo menos duas lições. A primeira, que ao contrário do Acre, o Amapá existe sim. Está lá entregue às moscas pra todo mundo ver e o pessoal do PP extorquir. E a segunda e nao menos triste, é que assim como no resto do pais, lá também tem muito eleitor otário. Muito mesmo.

O buraco não é mais embaixo

O Brasil está prestes a eleger para o seu comando uma mulher que bate na mesa, fala grosso, é mais macho que muito homem e não é a Rita Lee. É uma evolução? Depende.

O concorrente mais à altura desse verdadeito tanque de guerra não tem peso pra enfrentá-la, quanto mais força. E o síndico atual, um baixinho, corintiano, de fala fácil mesmo com língua plesa, tem certeza absoluta – assim como seus assessores – que é mais famoso que os Beatles. Consequentemente, que Jesus Cristo também.

Mas se na política estamos condenados a uma única direção, já que as duas frentes que disputam o comando do país só concorrem no discurso e na prática vão para o mesmo lado, olhe pra cima e agradeça. Pelo menos lá, onde não há políticos, nem padres comedores de criancinha ou lobby pra chegar mais alto, as coisas andam estabilizadas.

É que a Organização Mundial da Meteorologia (OMM) acaba de anunciar que a camada de ozônio que protege a Terra dos níveis nocivos de radiação ultravioleta, estabilizou nos últimos 10 anos. Não é nada, pelo menos nesse caso, o buraco não é mais embaixo. Continua lá em cima mesmo.

Fim da batalha, mas da guerra…

A ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, que ultimamente vinha aparecendo mais do que candidato a deputado federal em placa de beira de avenida, finalmente pediu pra sair. Pediu tarde, mas pediu.

Quem deve assumir a vaga é a coordenadora-geral do PAC, Miriam Belchior. O que promente, se acontecer, colocar o sobrenome do rapaz latino americano e desaparecido no noticiário de novo. Nem que seja de corrupção, né não?

Materialização à cubana

Pra quem achava que nunca mais ia ver Fidel Castro em público e de farda, uma surpresa. Quatro anos depois da sua última aparição pública oficial, o fantasma do ex-líder cubano se materializou disfarçado de azeitona para dar uma aula na Universidade de Havana. Prova de que se quem é vivo sempre aparece, quem não é também dá as caras.

Feito pinto de japonês no lixo

Apesar das previsões de crise que ainda circulam pelo mundo econômico, o ministro Guido Mantega anda otimista e feliz feito pinto de japonês no lixo. Durante um fórum econômico em São Paulo, o ministro disse que acredita em um avanço de 0,5% a 1% no PIB no 2º trimestre e 7% em 2010.

Não é nada, mas pensa bem: olhando com olhos orientais 0,5% já faz cócegas. Não?

Punição à altura

O ex-governador e ex-grevista de fome Anthony Garotinho foi mesmo condenado a dois anos e seis meses prestando serviços à comunidade e sem poder exercer cargo público. Pelo menos é o que a Justiça Federal do Rio de Janeiro chama de punição.

Já sua esposa, dona Rosinha, foi mais harbitrária. Cortou o videogame e a televisão depois das 22h.