Obrigado a sair

Corre à boca pequena nas dependências da PM carioca que o policial militar morto depois de passar mal durante o treinamento no Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) não pediu pra sair.

O BOPE já prometeu que vai investigar o caso. Enquanto o resultado não sai, a única certeza é que os soldados que sobreviveram nunca serão.

Morro do Turano: agora pode subir

E o Rio de Janeiro inaugurou nesta quinta, mais uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no morro do Turano, o preferido do Capitão Nascimento. Essa é a 12ª UPP do estado, onde poderão ser encontrados pelo menos 185 policiais militares dando plantão e tiro sempre que possível, porque “aqui é os tira, parcero!”

Nenhum traficante sem disfarce foi visto na inauguração. Somente o povo coagido da comunidade e autoridades militares subiram o morro para ver evento. Ao contrário do Capitão Nascimento, que não foi porque, como se sabe, por ele “não subia ninguém!”

Santa enrascada, Batman!

Apontado como líder da Liga da Justiça, Batman foi condenado a mais de 12 anos de prisão  pela Justiça do Rio de Janeiro.

Conhecido também como Ricardo Teixeira Cruz, o ex-PM e ex-super herói já havia fugido da prisão em 2008, mas foi pego novamente em 2009, ficando detido até a condenação.

Seja como for, a prisão do Batman é mais um duro golpe na Liga da Justiça, que há anos vem sofrendo perdas irreparáveis, como a do garoto prodígio, Robin, que hoje se mantém trabalhando em um salão de cabeleireiros ali no largo da Santa Cecília; o Super Homem, morto ao saltar de um prédio e descobrir que não voava; e a Mulher-Maravilha, que sucumbiu após uma cirurgia de implante de super seios mal sucedida pelo SUS.

Punição à altura

O ex-governador e ex-grevista de fome Anthony Garotinho foi mesmo condenado a dois anos e seis meses prestando serviços à comunidade e sem poder exercer cargo público. Pelo menos é o que a Justiça Federal do Rio de Janeiro chama de punição.

Já sua esposa, dona Rosinha, foi mais harbitrária. Cortou o videogame e a televisão depois das 22h.

A torcida só aumenta

Pra quem ficou comovido com o caso da modelo e suporte de celular, Larissa Riquelme, que ficou sem telefone depois de um assalto na Praia de Ipanema, um alento: há males que vem pra bem. A modelo terminou sua visita ao país assinando com a Playboy aqui e vai acabar sem roupa. De novo. E em breve.

Menos mal. E quanto a isso nem ela, nem a torcida do Paraguai, do Uruguai ou do Peru reclamaram. Pra quê, não é mesmo?