Justiça funcional

E o palhaço Tiririca, vulgo Francisco Everardo Oliveira Silva, foi mesmo absolvido pela Justiça Eleitoral, que considera “inelegíveis apenas os analfabetos absolutos, não os funcionais” Faz sentido.

Aparentemente o juiz Aloisio Silveira, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, se formou na mesma faculdade que o palhaço Tiririca, a FAIL – Faculdade de Atividades Interativas e Lúdicas.

Absolvido, Tiririca entra pra história como o segundo palhaço, analfabeto e funcional a receber um diploma sem nunca ter estudado e sem fazer a menor idéia de pra que ele serve. O primeiro, como se sabe, tá de saída.

Ajudinha oral

Depois de apresentar defesa admitindo que escreveu sua declaração de alfabetização com a  ajuda de sua mulher, Florentina de Jesus, o deputado eleito Tiririca terá que se apresentar à Justiça Eleitoral pra uma prova oral e um ditado.

Para o primeiro desafio, o deputado deve pedir ajuda de uma das ex-candidatas ao pleito, Cameron Brasil e Mulher Pêra. Ambas, com toda pinta de que dão conta do recado melhor que o palhaço.

Sobre o segundo desafio Tiririca ainda não sabe como resolver. Mas deve seguir algum velho ditado na hora.